quarta-feira, 1 de junho de 2011

Pequenas máquinas lucrativas que valem uma empresa

Transforme sua casa numa verdadeira fábrica,com equipamentos baratos e fáceis de operar.
A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo bateu seu recorde histórico no final do ano passado. Segundo levantamento da Fundação Seade e do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos), o índice chegou a 16,3% da população economicamente ativa, o que significa cerca de 1,5 milhão de pessoas sem emprego formal na Grande São Paulo – número superior à população da cidade de Porto Alegre ou à de todo o estado de Tocantins, por exemplo.
A industria é o setor que mais vem demitindo pessoal. Em um único mês do final do ano passado as fábricas da Grande São Paulo eliminaram 39 mil postos de trabalho. A diminuição do emprego industrial, na verdade, é uma tendência mundial, impulsionada pelo avanço tecnológico que reduz a necessidade de mão-de-obra.
Com o dinheiro do Fundo de Garantia na mão, um número considerável de operários demitidos decide encarar o desafio do negócio próprio, em vez de sair à procura de um novo emprego. Em muitos casos, até por afinidade com a operação de máquinas, essas pessoas se encaminham para o setor industrial na hora de aplicar o precioso dinheiro da indenização. Essa situação vem impulsionando as atividades de um segmento que se dedica exclusivamente à produção de equipamentos que compõem pequenas fábricas, ou “micro-indústrias”.

O setor cresce tanto que já existem feiras de negócios dedicadas exclusivamente à exposição de pequenas máquinas, assim como empresas que mantêm estandes permanentes para a comercialização de equipamentos que, sozinhos, fazem o papel de micro-indústrias. São fornos para mini-padarias, máquinas, carrinhos e equipamentos para a fabricação de: sacos e sacolas plásticas, brindes promocionais, fraldas e absorventes, etiquetas, chinelos e sandálias, embalagens de alumínio, crepes, carrinho hot-dog, carreta para lanches, pipoqueira elétrica, máquina churros, algodão doce, churrasco grego, tijolos, folheação de objetos, fornos para pizzas, recarga de cartuchos de impressoras, kit de reparo de pára-brisas, revitalização de pintura automotiva, estampas em camisetas, velas, embalagens (corte e vinco), máquina para clipes e grampos de grampeador, impermeabilização, carimbos, batata-frita, bonés, espetinhos, tele-mensagem, produtos de limpeza, vassouras, bottons, sucos e polpa de frutas, mini-gráfica, encadernação, tanques p/ produção de iogurte, máquinas para chaveiro, e uma infinidade de outros produtos. A grande maioria desses equipamentos custa menos de 3 mil reais e, em geral, o fabricante se responsabiliza pelo treinamento dos operadores e cuida da assessoria e da assistência técnica.
No caso da montagem de uma micro-indústria, recomenda-se em alguns casos a criação, logo no início, de uma empresa formal. Como a idéia é vender em quantidades maiores, para outras empresas, torna-se necessária a expedição de notas fiscais (quando o cliente solicitar).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário